O preço não tem nada a ver com o custo do produto. Quem define o preço é o mercado”, disse um executivo da Mercedes-Benz, para explicar porque o brasileiro paga R$ 265.00,00 por uma ML 350, que nos Estados Unidos custa o equivalente a R$ 75 mil.

“Por que baixar o preço se o consumidor paga?”, explicou o executivo.

Participe no Protesto!

domingo, 16 de setembro de 2012

PREÇO DOS ITENS OPCIONAIS DOS CARROS POPULARES VARIAM ATÉ 78%

http://www.newsrondonia.com.br/lerNoticias.php?news=8571
Diferença entre pacotes da mesma empresa também é grande - chegando a quase R$ 2 mil 
 O consumidor que desejar incluir em um carro básico itens opcionais, seja por conforto ou segurança, vai se deparar com diferenças de até 78% nos preços de cada item. Esse foi o cenário que o Idec encontrou ao realizar uma pesquisa sobre a venda desses produtos para os automóveis.
O Instituto verificou as práticas comerciais das cinco montadoras do País que oferecem carros populares. Foram avaliadas Chevrolet (Celta LS), Fiat (Palio Fire Economy ), Ford (Ka), Volkswagen (Gol) e Renault (Clio).
A pesquisa foi realizada a partir da consulta ao site das montadoras e por telefone, em duas concessionárias de cada montadora localizadas na cidade de São Paulo.

Se o consumidor desejar adquirir somente o ar condicionado, único item disponível para a venda separadamente nas concessionárias de todas empresas pesquisadas, vai se deparar com grandes diferenças nos preços. A variação entre o opcional do Gol - R$ 2.700 - e
do Ka - R$ 4.810 - é de R$ 2110.

O Idec também constatou que incluir itens de conforto como ar condicionado e direção hidráulica encarece o preço total do veículo em até 22%. No caso do Palio File e do Celta LS, únicos automóveis em que a compra dos dois itens é possível separadamente, o valor final dos carros chega a ficar de 15% a 20% mais caro.

Para os outros automóveis, Ka, Gol e Clio, incluir ar condicionado e direção hidráulica só é possível se o consumidor adquirir um pacote que além desses itens inclui também outros opcionais. Nesses casos o aumento no custo final chega até R$ 6.200.

Site ou loja?

A diferença entre os preços não ocorre só de uma montadora para outra. O levantamento apontou desencontro de informações entre a concessionária, o site e os canais de atendimento das montadoras.

Um exemplo é o do kit airbag duplo (kit -KP01) do Ford Ka. A diferença entre os valores informados foi de R$ 1.930. No site, o valor do pacote era de R$ 7.940, já na concessionária, o preço informado foi de R$ 9.870.

Na Volkswagen também ocorreu situação semelhante. No site da montadora, o pacote que contém ar condicionado e direção hidráulica, chamado de Kit VI, oferece também outros opcionais que elevam o preço do kit a R$ 6.200. Quando solicitado à concessionária um pacote que contivesse direção e ar, o kit oferecido foi o Trend, no valor de R$ 2.200. Uma diferença de R$ 4.000 entre os kits - mais de 180%.

No pacote com itens de segurança, com freio ABS e air bag, as informações também diferem em cada canal de venda. A concessionária informou dois valores diferentes: primeiro R$ 2.800 e depois R$ 3.500. Enquanto isso, no site, o valor do pacote era de R$ 2.310 e estava atrelado à compra compulsória de outros "opcionais", que juntos totalizavam R$ 5.720.

Venda casada

Quando esses itens de segurança não vêm de fábrica com o automóvel, sua comercialização deve poder ser feita separadamente. "Não há requisito técnico que justifique apenas a oferta conjunta desses itens. Logo, a prática é venda casada", declara o advogado do Idec, Guilherme Varella.

O Instituto também constatou venda casada em outros aspectos. De todos os opcionais pesquisados, o ar condicionado foi o único item disponível para a venda separada nas concessionárias de todas as empresas.

Na maioria dos casos o consumidor não pode comprar o item separado, somente dentro de um kit. A prática, porém, de vincular a compra de um produto ou serviço a outro sem que haja necessidade é considerado venda casada e é proibida pelo CDC (Código de Defesa do Consumidor). "Sugerir a compra do carro completo e indicar apenas um kit, de valor alto, sem a possibilidade de negociação dos componentes, representa restrição à liberdade de escolha do consumidor, que é garantido pelo CDC", afirma Varella

O que elas têm a dizer:

O Idec enviou o resultado às empresas e apenas a Chevrolet não respondeu. Para conhecimento e providências cabíveis, as informações também foram encaminhadas ao DPDC (Departamento de Defesa do Consumidor), ao Ministério Público Federal e à Anfavea (Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores).

Leia a seguir as respostas enviadas pelas empresas:


A Fiat confirmou que não vende produtos opcionais separadamente e alega que os combos não configuram venda casada porque não estão atrelados à compra do veículo;
 
  • A Ford também disse que os kits não configuram venda casada, mas "meras opções de produtos que facilitam a escolha dos clientes";
     
  • A Renault afirmou que o Clio é comercializado em diferentes versões e que foi identificado pelo Idec não é venda casada, mas "configurações de fábrica" disponíveis para escolha do cliente;
     
  • A Volkswagen informou que as configurações de seus veículos são programadas de acordo com a demanda mercadológica e que alguns componentes são estruturados conjuntamente por necessidades técnicas, mas não explicita quais são eles e quais as necessidades técnicas.
 

4 comentários:

  1. Culpa do próprio consumidor... Vai no youtube, nos canais dessas montadoras e tem um monte de "baba ovo" falando que vão comprar o carro pq está lindo!
    Esquecem que mesmo o carro sendo "lindo", numa batida eles vão morrer, pois não existe nenhuma segurança nestes veiculos!

    Concluo dizendo que o povo brasileiro é metido a malandro e etc. Mas na verdade é o povo mais ignorante e burro!

    ResponderExcluir
  2. Infelizmente é verdade. E falando sobre esse assunto da seguranca no Facebook das montadoras: Ninguem presta atencao. So babando para os novos adesivos "Sport"....

    ResponderExcluir
  3. muito bom o seu site. Vou indicá-lo para os amigos. Eu sempre defendi que a tributação é alta, mas muito mais alta são as margens de lucro dessas montadoras que são bancos disfarçados de indústria.

    ResponderExcluir
  4. Venda casada sim!
    As montadoras só falaram "caraminholas"...
    Colocam nestes pacotes de itens: pedaços de plástico pintados em cinza, uma costura no banco diferente mas de mesmo nível de acabamento e manufatura e sapeca milhares de reais no kit...
    Vai ver o preço de custo do kit pode virar em torno de menos que 50 % do preço na tabela da concessionária.
    Eu queria ficar cara a cara com um desses CEO brasileiros de montadoras cheio de desculpas esfarrapadas e poder falar para eles...
    -Pede para seu chefe gringo nem mandar mais a grana do seu salário...e abre logo concordata! Porque se continuar essa safadeza pode esperar...e olha eu nem sou vidente!

    ResponderExcluir